7 motivos para ter um antivírus de qualidade em sua empresa

É importante mesmo ter um antivírus corporativo instalado nos dispositivos da minha empresa?”. Responder sim ou não para essa pergunta, nunca é simples demais. O tema, por muitas vezes acaba gerando longas discussões sobre o desempenho do dispositivo, a usabilidade das soluções de segurança, a privacidade do usuário entre outros pontos que acabam estendendo ainda mais a discussão. Por isso, vamos listar aqui sete fatos que te ajudarão a ter uma melhor ideia sobre o que fazer.

1.  Variedades de Ameaças para serem protegidas pelos antivírus

A cada dia surgem mais e mais ameaças que estão se espalhando e que afetam os usuários. Apesar de o termo “antivírus” ser mais conhecido pela coletividade, essa ferramenta tem evoluído cada vez mais, deixando de detectar apenas vírus informático e passando a ser uma solução de segurança muito mais completa, fornecendo outras funções, como firewall, filtros antispam e antiphishing ou escâner da memória, por exemplo, que dão uma proteção maior, quiçá integral ao sistema e ao mesmo tempo permite a navegação de uma forma mais segura.

2. Diversidades de formas de propagação

Sem sombra de dúvidas, a internet é o principal mecanismo utilizado pelos criminosos para propagar suas ameaças, sendo quase sempre necessária a interação do usuário para executar um arquivo, abrir um documento ou baixar alguma coisa no seu dispositivo. E ai temos o início da infecção.

Entretanto, esta não é o único meio utilizado por estes criminosos, tendo em vista que existem métodos que podem ser instalados sem a interação do usuário, como por exemplo, a injeção de um iframe em um site com alguma vulnerabilidade, podendo fazer com que o criminoso possa instalar algo no dispositivo do usuário sem que este sequer se dê conta do que está acontecendo. E aqui ressaltamos que uma solução de segurança de qualidade, certamente detectará esse comportamento malicioso, impedindo-o de agir e alertando o usuário.

3. Aumento na quantidade de ataques

Há alguns anos atrás, falávamos de uma média aproximada de 200.000 amostras diferentes de detecções diariamente; hoje, o número passou de 500.000 infecções por dia. Isso sem esquecer as milhões de atualizações de assinaturas para malware direcionadas para o Windows a cada poucos dias pelas maiores fabricantes.

Se acrescentarmos o fato de que estes fabricantes não possuem acesso a tudo que pode acontecer no ecossistema do cibercrime, esses números podem ser ainda maiores.

4. Tecnologias vulneráveis

Por mais atualizadas que sejam os sistemas operacionais e aplicativos utilizados pela sua empresa, sempre haverá vulnerabilidades, o que abre uma brecha para os criminosos e a possibilidade de infecção independentemente da versão do sistema operacional que é usado. Ainda, deve se levar em conta também a variedade de linguagens utilizadas pelos criminosos, que estendem suas possibilidades de afetar sistemas: por meio de linguagens compiladas até scripting, que são utilizados para atentar contra diversos tipos de plataformas.

5. Plataformas afetadas

Não há dúvidas de que o sistema operacional mais visado para ataques é o Windows, afinal, ele é o mais utilizado no mundo inteiro e, por isso, a maioria dos códigos maliciosos estão focados em afeta-lo mas, está se tornando muito mais comum encontramos ameaças para outros sistemas, como o Mac OS X ou o Linux, embora muitos ainda acreditem em sua invulnerabilidade. Além disso, existem ainda malwares para os sistemas móveis, como o Android e o iOS, por isso, é hora de perceber que não há plataformas livres de riscos.

6. Concentração de ameaças

De fato uma única solução de segurança não irá evitar todos os ataques dos quais o usuário possa ser uma vítima, é preciso mais mas, de antemão, ela servirá para prevenir a infecção na maioria dos casos. Levando em consideração o imenso crescimento na quantidade de códigos maliciosos que circulam por ai, é imprescindível que não se deixe a proteção dos seus dados sem a devida segurança.

7. Uso compartilhado de dispositivos

Por último, mas não menos importante, devemos ainda nos ater a utilização que é dada ao dispositivo que usamos. Ao compartilhar o equipamento com outras pessoas, por exemplo, a possibilidade de ser vítima de um cibercrime tende a aumentar ainda mais.

Como já dito anteriormente, não basta apenas ter uma solução de segurança. Garantir que estaremos seguros vai muito além de apenas contar com um antivírus instalado: conhecer as ameaças e como se propagam, além de fazer um uso adequado da tecnologia, principalmente mantendo os sistemas operacionais e aplicativos sempre atualizados, ajudam a ter uma proteção real contra qualquer tipo de ameaça.

Alguns dizem que ao instalar um antivírus, se estende a possibilidade de que cibercriminosos possam vulnerabilizar um sistema, pois podem aproveitar as vulnerabilidades dessas ferramentas. E isso, até certo ponto, tem sentido: instalar um novo aplicativo no sistema estende a superfície de ataque. No entanto, nesse caso particular, ajuda a prevenir contra muito mais ameaças do que as que pode causar. Além disso, se estamos falando de um produto respaldado por uma empresa de segurança confiável com trajetória no mercado, esses problemas podem ser solucionados muito rapidamente, evitando que um cibercriminoso possa explorá-lo.

Depois de tudo isso, você ainda continuar pensando que não deve ter uma solução de segurança instalado em seus dispositivos?

A Raidbr trabalha com os melhores parceiros e marcas do mercado, tendo a melhor solução para você e sua empresa, saiba mais em nossa linha de produtos.

Comentários

Contato Rápido

Siga nossas redes:

Copyright 2019 | RAIDBR © Todos os Direitos Reservados. Desenvolvido por UNO Studio Digital

Precisa de ajuda?
Olá!
Podemos te ajudar?
Powered by